Archive for fevereiro, 2010


REFAZENDO A FESTA

posted by Jary Cardoso @ 10:00 AM
28 de fevereiro de 2010

.

texto de JOLIVALDO FREITAS*

.

O carnaval de Salvador nestes 60 anos de Trio Elétrico e 25 anos de Axé Music foi maior do que supõe qualquer vã filosofia. O que vimos nos circuitos foi apenas a ponta do iceberg. Pena que as autoridades que vêm e vão não querem ver. Talvez com medo de ter mais trabalho e custos.

A festa somente não cresce, gerando mais emprego e renda, porque também os grupos unidos e pétreos que dominam a festa e dela expropriam ao máximo cercam os caminhos e impedem com artimanhas e manhas, a chegada de novas ideias e ações.

Novos trios, blocos, circuitos e caras novas sofrem para vencer a barreira imposta por aqueles que souberam aproveitar a gênese da festa em seu atual formato comercial e enfiaram suas ventosas.

Não tem quem consiga tirar, pois. Falta autoridade com coragem suficiente para enviar um projeto regulatório democrático para a Câmara de Vereadores, por exemplo, para dar chances a todos aqueles que querem se amalgamar à essência da festa.

Vemos há tempo queixas e choros de centenas de músicos, cantores, produtores e neo-empresários querendo uma chance e não encontram respaldo. O que ouvem é que em todos os circuitos o círculo está fechado.

Quem perde? O público que não vê grandes mudanças em sua cultura carnavalesca; o empresário que não evolui em suas ações, o município e o Estado que vêm passar ao largo impostos e outras contribuições.

A fórmula atual dos circuitos oferecidos aos foliões da terra e da massa imensa que vem de outros estados e cidades interioranas é a mesma, apenas ungida com alguma purpurina para dar um falso brilho de diferenciação. Excetuando-se novas músicas, figurinos das estrelas e uma ou outra dança, nada de novo e tudo como dantes.

É hora de abrir vaga num novo circuito. De fazer o Carnaval de Salvador evoluir. O Estado tem sim de ajudar na organização de renascimento das escolas de samba. A prefeitura tem de criar um circuito novo para novos blocos e novas estrelas. Pode ser na área do Comércio ou na Paralela. Quem terá coragem de propor e viabillizar? O trio anda.

.

*Jolivaldo Freitas – Jornalista, escritor, editor do blog Joli: http://www.jolivaldo.blogspot.com/

.


UMA PONTE SOBRE O RECÔNCAVO E ILHAS

posted by Jary Cardoso @ 10:00 PM
23 de fevereiro de 2010

Ilustração de CAU GOMEZ

.

texto de PAULO ORMINDO DE AZEVEDO*

.

Um réquiem de João Ubaldo para Itaparica, ameaçada de ser atropelada pela BR 242, provocou uma resposta grotesca e vazia do governo, que macula sua imagem. A reação foi xenofóbica e preconceituosa por ele residir no Rio, e não ser um técnico, senão um intelectual, supostamente amante do atraso.

Assinei o manifesto em solidariedade ao escritor pela tentativa de desqualificá-lo, em defesa da liberdade de opinião e por outras razões que vão mais além dos seus temores.

A ponte, a meu ver, não fará de Itaparica uma extensão de Salvador, tanto quanto a Rio-Niterói não expandiu Niterói, nem desafogou o Rio, que cresce na direção oposta. Itaparica, como Niterói, será apenas um atalho para a BR-101 e BR-242. Continuará como um conjunto de condomínios fechados usados um mês por ano, como o litoral de Lauro de Freitas e Camaçari.

Mesmo porque, a ponte será uma nova Paralela, engarrafada 24 horas por dia, apesar de suas oito pistas, pois o gargalo está na entrada de Salvador. Não será também uma saída para a soja do oeste, pois o nosso porto, mesmo ampliado, não tem condição de operar granéis e tem uma sobrevida de 25 anos. Ela será, sim, uma ponte sobre o Recôncavo e ilhas, cujas estradas serão marginalizadas, o sistema hidroviário e patrimônio abandonados.

Não digo adeus à ilha, que continuará sendo apenas uma passagem, lamento por Salvador, que poderá receber cerca de 60.000 carros e caminhões diários entrando por São Joaquim e cruzando seu centro antigo em direção ao Litoral Norte, onde estão as praias mais badaladas e os principais centros de produção da Região Metropolitana de Salvador – RMS, o Copec e a Ford.

Imaginem o engarrafamento do Américo Simas, da San Martin, da Contorno e do Iguatemi nos dois sentidos. Pela conformação do cabo de S. Antônio, não podemos ter um anel rodoviário, senão um fundo de saco (cul de sac). Para ele, o já congestionado Iguatemi, convergem duas estradas, a BR-324 e a Estrada do Coco/Linha Verde. Agora teremos uma terceira, a BR-242.

Enquanto em todo o mundo se evita a entrada de carros no centro, nós vamos despejar ali uma estrada de oito pistas.

A ponte terá também um impacto enorme sobre a segunda maior baía do mundo. A construção de uma ponte como essa demanda a construção de modelos reduzidos para simulações de marés, ventos e descargas de rios e assim evitar assoriamentos e correntezas indesejáveis. Pequenas obras nos portos de Fortaleza e Recife acabaram com as praias de Iracema e de Olinda. O porto de Suape atraiu tubarões para a praia de Boa Viagem.

Quanto perdeu Recife e perderá Salvador com um monstrengo que já arranca a 35 m de altura, prejudicando a paisagem, a navegação, os esportes náuticos e o turismo?

É inconcebível que se licite um projeto dessa complexidade sem estudos de viabilidade e impactos? Nem eles podem ser feitos em 120 dias.

Ao que tudo indica, o Convite a Manifestação de Interesse é apenas a legitimação do projeto do “Consórcio” já apresentado pelo secretário de Infraestrutura, cujo orçamento inicial é de R$ 2,5 bilhões, mas que poderá ser triplicado com os custos financeiros e operacionais.

É um engano imaginar que o setor privado irá investir na ponte e que ela será paga com o pedágio. Com este projeto e o remake de R$ 1,61 bilhão da Fonte Nova (A Tarde, 30/01) a capacidade de endividamento do Estado fica comprometida por algumas décadas e nós contribuintes pagando o pato.

Caro colega Bira Gordo, li com a atenção seu artigo “Radicalismo e desenvolvimento” do último dia 11/2, por ser V. o mais ilustrado porta-voz da atual administração. Esta falsa oposição entre desenvolvimento e preservação ambiental, assim como a pecha de radicalismo atribuída ao contraditório são coisas dos anos 70.

Confesso que não consegui enquadrar Ubaldo nem eu mesmo em nenhuma de suas categorias – vermelho/comuna, verde de raiva, infantil e senil/saudosista – nem numa fantasmagórica oposição.

Queremos apenas um desenvolvimento sustentável, que não seja só pontes, viadutos, asfalto, mais carros e fumaça. Há alternativas melhores e mais baratas.

.

*Paulo Ormindo de Azevedo – Arquiteto, professor titular da Universidade Federal da Bahia, diretor do Instituto dos Arquitetos do Brasil-Depto Bahia e do Crea-BA, membro da Academia de Letras da Bahia

.

***

NOTA DO EDITORPara ficar por dentro deste debate sobre o projeto de uma ponte ligando Salvador à Ilha de Itaparica, veja abaixo os endereços de três posts do Jeito Baiano. Começando pelo artigo de João Ubaldo Ribeiro, publicado originalmente no jornal A Tarde e que o editor deste blog se orgulha de tê-lo botado na rede mundial, propiciando assim o surgimento do manifesto de apoio ao escritor itaparicano. O manifesto foi transcrito na íntegra em um destes posts e se você quiser subscrevê-lo, o site para isso também está aqui.

Em seguida, veja o artigo de Ubiratan Castro de Araújo, o Bira Gordo, ao qual Paulo Ormindo de Azevedo se refere em seu texto acima.

- Artigo de João Ubaldo “Adeus, Itaparica”:

http://jeitobaiano.atarde.uol.com.br/wp-content/uploads/2010/01/22/adeus-itaparica-%E2%80%93-por-joao-ubaldo/

- Manifesto de apoio a João Ubaldo: http://jeitobaiano.atarde.uol.com.br/wp-content/uploads/2010/01/31/manifesto-de-apoio-a-joao-ubaldo/

- Link para a subscrição do manifesto:

http://www.gopetition.com/online/33669.html

- Antonio Risério entra no debate: http://jeitobaiano.atarde.uol.com.br/wp-content/uploads/2010/02/21/riserio-entra-no-debate-sobre-a-ponte/

.

***

RADICALISMO E DESENVOLVIMENTO

.

texto de UBIRATAN CASTRO DE ARAÚJO*

.

Nos idos tempos de minha juventude, o radicalismo político era indiscutivelmente vermelho, nas suas várias tonalidades; do rubro encarnado do livrinho de pensamentos do presidente Mao até o rosa choque da social-democracia. As velhas tias baianas desenvolveram uma sábia teoria, pela qual comunismo era como surto de sarampo. Era normal na infância e muito perigoso na maturidade! Hoje, o radicalismo mudou de cor. Ele é indiscutivelmente verde, em todas as suas tonalidades; do verde-oliva dos defensores da floresta, ao verde-musgo dos defensores das águas, até o verde claro dos defensores do ar puro e do clima fresco.

Para que meus amigos verdes não fiquem verdes de raiva, devemos reconhecer que o radicalismo é da natureza dos movimentos sociais. Cada movimento existe em função de uma pauta específica, focada em uma questão que assegura a legitimidade e a militância de todos os seus simpatizantes. Por isso os movimentos sociais são sempre maximalistas. Assim é que os governos são de partidos políticos e não de movimentos sociais.

O mais grave é que os radicalismos nunca andam sós. Ao lado do verde infantil, anda o saudosismo senil. Nós todos, pós-sexagenários, sentimos bater em nossas mentes a saudade de nossa própria juventude. “No meu tempo tudo era melhor”. Ai que saudade tenho da Estância Hidromineral de Dias D’Ávila, veraneio de toda a minha infância. Nunca mais os banhos das milagrosas lamas preta e branca, nunca mais a cata de mangaba nos tabuleiros… ai que saudade! Mas nem por isso pretendo destruir o Polo Petroquímico, principal atividade industrial da Bahia. Esta patologia tem hoje um sintoma: a saudade da Itaparica do meu avô! Como diz o povo, amor que fica é amor de Itaparica!

A mais recente manifestação deste encontro de radicalismos é a oposição apaixonada ao projeto de construção da ponte Salvador-Itaparica. Este não é um projeto rodoviário isolado. Ele faz parte de todo um planejamento do Estado da Bahia para a reativação da Baía de Todos os Santos e seu entorno, o Recôncavo Baiano. Esta baía nunca foi um local bucólico de contemplação e sim um local de trabalho produtivo! O desafio do presente é a restauração do desenvolvimento articulado de toda a baía, com indústria naval, interligação de estradas com o sistema de portos e expansão da indústria automobilística e do Polo Petroquímico.

A baía bucólica é o triste resultado das mudanças econômicas dos anos 60, com o funcionamento da Rio-Bahia e com a implantação da economia do petróleo, que produziram um Recôncavo desenvolvido, chamado Região Metropolitana de Salvador, e um Recôncavo abandonado, chamado de Histórico. Nestes espaços abandonados, ficou uma população pobre, os nativos, sem acesso aos serviços de saúde, educação, sem emprego e sem rendas, indigentes das migalhas dos ricos veranistas e turistas do Recôncavo desenvolvido, que durante algumas semanas no ano, iam descansar as vistas com a pobreza alheia. Na Baía do século XXI, tanto nativos quanto veranistas tem o mesmo direito de acesso aos benefícios do desenvolvimento, pois são todos cidadãos baianos.

O grande remédio contra os radicalismos é a prática da democracia. Que todos os interessados sejam ouvidos! Que se defina a justa medida da preservação da cidade de Itaparica, cidade histórica e estância hidromineral, de modo a protegê-la dos impactos negativos da desfiguração urbana e da implacável especulação imobiliária. Queremos todos que a cidade de Itaparica continue a produzir milagres com a sua “água fina, que faz velha virar menina”.

.

*Ubiratan Castro de Araújo – Historiador e membro da Academia de Letras da Bahia


PROF. JORGE PORTUGAL LANÇA DESAFIO

posted by Jary Cardoso @ 10:00 PM
22 de fevereiro de 2010
Foto de MAURÍCIO REQUIÃO

COMPETIÇÃO DE CONHECIMENTOS

.

texto de ANDRÉA FERNANDES*

.

O Tô Sabendo, novo programa de Jorge Portugal em rede nacional, estará estreando amanhã, dia 23 de fevereiro, um desafio para os alunos de escolas públicas de Salvador, Belém e São Paulo. É o Tô Sabendo Desafio que irá ao ar pela grade de programação da TV Brasil e emissoras associadas às terças e quintas, às 17h30.

Em janeiro Jorge estreou o Tô Sabendo Revista, que é veiculado aos sábados, às 18hs. Neste, Jorge entrevista professores, especialistas e profissionais sobre assuntos relevantes para o novo Enem, vestibulares e concursos de todo o país.

A iniciativa traz pontos importantes e inéditos para a programação da televisão brasileira e para a educação desse país. É o primeiro programa voltado para alunos de escolas públicas do ensino médio do país e o primeiro jogo de conhecimentos com as características mencionadas acima (público alvo e conteúdo específico). É também o primeiro programa produzido na Bahia veiculado em rede nacional por um período prolongado.

.

Duplas de jogadoras. Foto de MAURÍCIO REQUIÃO

O Tô Sabendo – programa fruto de uma parceira entre o Ministério da Cultura (MinC), através do programa Mais Cultura, e do Instituto de Radiodifusão da Bahia (Irdeb) – inicia nova fase com uma competição de conhecimentos gerais e específicos entre os estudantes do último ano do ensino médio, é o Tô Sabendo Desafio.

A competição é liderada pelo educador e apresentador Jorge Portugal que faz perguntas e desafia as equipes, abordando os conteúdos escolares de maneira interdisciplinar. Participam da maratona de conhecimentos alunos de colégios públicos de Salvador, Belém e São Paulo.

Os primeiros competidores do programa a testar seus conhecimentos são os alunos do Colégio da Polícia Militar Unidade II Lobato e Colégio Estadual Professora Noêmia Rego, ambas de Salvador (BA).

Na opinião da diretora pedagógica do Colégio da Polícia Militar Unidade II Lobato, Eliane Bastos, o projeto é uma oportunidade para que os alunos da escola pública adquiram uma melhor condição para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), principal porta de entrada para o estudante de escola pública na universidade.

A iniciativa é maravilhosa, a gente acredita que o potencial desses alunos vai ser bem explorado e todos vão ver como tem gente boa dentro da escola pública”, diz a diretora.

Eliane também aponta o Tô Sabendo como uma excelente oportunidade para mudar a imagem que a sociedade alimenta da escola pública:

Nós muitas vezes fomos desprovidos de uma série de coisas e quando a gente tem uma oportunidade de mostrar para o mundo que o trabalho que a gente realiza é bom, a gente abraça com todas as forças”.

Alunos de escola pública torcem. Foto de MAURÍCIO REQUIÃO

Já o estudante Roberto Pitiloco, do Colégio Estadual Professora Noêmia Rego, acredita que o programa vai ser um estimulo para outros alunos que ao verem a participação dos jovens no desafio se sentirão estimulados a estudar mais.

A gente tem que aproveitar o que surge, buscar conhecimento e estar bem na escola”, complementa o estudante.

Em janeiro, o Tô Sabendo estreou na grade de programação da TV Brasil com temas específicos, comentados por professores e/ou especialistas. É o Tô Sabendo Revista que vai ao ar todo sábado, às 18 horas (horário de Brasília). O programa já recebeu convidados como Arnaldo Antunes, Pasquale Cipro Neto, os professores de geografia e física, respectivamente, Yomar Seixas e Paulo Bahiense, o diretor da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) Mitermayer Galvão dos Reis, entre outros

.

***

PERFIL DE JORGE PORTUGAL

.

Jorge Portugal é um baiano eclético, nascido em Santo Amaro da Purificação. É professor autodidata de Língua Portuguesa e Redação, poeta, compositor e cantor, além de idealizador e coordenador de projetos culturais.

Jorge também é escritor, articulista do jornal A Tarde, conselheiro da Fundação Pierre Verger desde 2008 e foi membro do Conselho Estadual de Cultura da Bahia, no período de 1999 a 2007.

Poeta, cantor e compositor

Na condição de poeta, compositor e cantor, Jorge tem sua carreira artística dedicada à tradução das mais genuínas manifestações da cultura brasileira. Sem perder a sintonia com o que vai pelo mundo, nem com as influências contemporâneas, o seu trabalho musical tem-se afirmado ao longo desses anos pela singularidade do seu estilo e pela aceitação popular que o mesmo consegue.

Hoje suas composições são executadas em várias partes do mundo, ganhando dimensão nas vozes de intérpretes consagrados como Maria Bethânia, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa, Daniela Mercury, Margareth Menezes, Tânia Alves, Raimundo Sodré, Araketu, Fafá de Belém, Sandra de Sá, dentre outros tantos artistas que já o gravaram.

Em sua experiência como apresentador Jorge traz na bagagem a idealização e apresentação do quadro É assim que se escreve – TV Bahia (2000 a 2002). E na Rede Bahia de Comunicação foi consultor e apresentador do programa Aprovado! – programa-revista de educação e cultura veiculado semanalmente de 2001 a 2009, quando Jorge amplia a proposta para ser exibido em rede nacional, dando origem ao Tô Sabendo.

.

*Andréa Fernandes – Assessora de Comunicação do Projeto Tô Sabendo



Grupo A TARDE

empresas do grupo

jornal a tarde | a tarde online | a tarde fm | agência a tarde | serviços gráficos | mobi a tarde | avance telecom | massa!

iniciativas do grupo a tarde educação | a tarde social


Rua Prof. Milton Cayres de Brito n° 204 - Caminho das Árvores - Salvador/BA, CEP-41820570. Tel.: 71 3340-8500 - Redação: 71 3340-8800


Copyright © 1997 - 2010 Grupo A TARDE Todos os direitos reservados.