“A BAHIA DECIDIU O FUTURO DO BRASIL”

postado por Jary Cardoso @ 8:49 AM |
26 de outubro de 2010

ATENÇÃO, ATENÇÃO!!! TODOS QUE AMAM A BAHIA, BAIANOS DE NASCENÇA, BAIANOS DE CORAÇÃO, BAIANOS ADOTIVOS, BAIANOS HONORÁRIOS. QUEM PUDER VÁ HOJE CUMPRIMENTAR O JORNALISTA LAURENTINO GOMES NO LANÇAMENTO DE SEU LIVRO 1822, LIVRO ESTE QUE RECONHECE COM TODOS OS MÉRITOS O PAPEL DECISIVO QUE O POVO BAIANO EXERCEU PARA GARANTIR A INDEPENDÊNCIA DE TODO O TERRITÓRIO BRASILEIRO AO EXPULSAR OS COLONIZADORES PORTUGUESES DEPOIS DE UMA GUERRA DE UM ANO E MEIO QUE CULMINOU COM A VITÓRIA NO DIA DOIS DE JULHO DE 1823.

VEJAM O CONVITE PARA O LANÇAMENTO DE 1822:

Uma das bandeiras deste blog, a mais apaixonada delas, é a que defende o reconhecimento nacional deste grande feito histórico protagonizado por baianos de todas as classes sociais e cores de pele, senhores de engenho e escravos, mulheres e homens heroicos. Por enquanto só os baianos festejam o Dois de Julho, mas o capítulo “A Bahia” do livro de Laurentino Gomes contribui com texto primoroso e emocionante para que o Brasil comece a compreender a importância da data.

Trecho desse capítulo:

Os baianos têm bons motivos para celebrar. Foram eles os brasileiros que mais lutaram e mais sofreram pela Independência. A guerra contra os portugueses na Bahia durou um ano e cinco meses, mobilizou mais de 16.000 pessoas só do lado brasileiro e custou centenas de vidas. Foi também ali que o Brasil independente correu o mais sério risco de se fragmentar. Depois da expulsão das tropas do general Jorge de Avilez do Rio de Janeiro, em fevereiro de 1822, a metrópole portuguesa decidiu concentrar em Salvador todos os seus esforços militares. O objetivo era dividir o Brasil. As regiões Sul e Sudeste ficariam sob o controle do príncipe regente D. Pedro. O Norte e o Nordeste permaneceriam portugueses. Mais do que isso, a metrópole alimentava a esperança de que, uma vez dominada a Bahia, suas tropas poderiam eventualmente atacar o Rio de Janeiro e dali recuperar as demais províncias. A coragem e a determinação dos baianos impediram que isso acontecesse. “A resistência baiana decidiu a unidade nacional”, afirmou o historiador Tobias Monteiro.

Em 1822, a Bahia era um ponto estratégico crucial para a consolidação do nascente império brasileiro (…)

.

O poeta e jornalista Florisvaldo Mattos, companheiro de lutas de outro baiano visionário, Glauber Rocha, propõe que o Dois de Julho de 1823 passe a ser a grande data nacional da Independência do povo brasileiro, deixando o Sete de Setembro com o mesmo status do Quinze de Novembro, datas comemorativas de episódios protagonizados apenas pelas elites do país.

Outro trecho, no final do capítulo do livro do paranaense Laurentino Gomes dedicado à Bahia:

A Bahia decidiu o futuro do Brasil na sua forma atual, mas a festa do Dois de Julho é hoje praticamente desconhecida pelos brasileiros das outras regiões. Ao contrário do Carnaval, e apesar de também reunir milhares de pessoas, raramente é notícia nos jornais e emissoras de rádio e televisão fora da própria Bahia.

Tags: , ,

5 Responses to ““A BAHIA DECIDIU O FUTURO DO BRASIL””

  1. Mardones Ferreira  Says:

    Esse reconhecimento tem dificuldades, pois os sulistas não querem admitir que os baianos tiveram papel fundamental na consolidação da nossa independência.
    Os coronéis políticos nunca tocam nesse assunto quando vão à tribuna em Brasília e o povo não estuda isso nas escolas brasileiras.
    E mais, o movimento dos malês, que encamparam os ideais franceses, também precisa de reconhecimento, pois foi a primeira vez que um grupo – os Malês (negros mulçumanos alfabetizados) – defendeu os direitos humanos no Brasil.
    São muitas páginas da História da Bahia que precisam de reconhecimento.

  2. barreto  Says:

    o pioneirismo libertário baiano é a revolução dos alfaiates …
    os baianos precisam reaprender a sua história…
    estudá-la, reescrevê-la.
    a história oficial é branca, dominante e sulista.

    o dois de julho, que foi gerado no recôncavo, merecia um capítulo inteiro no livro 1822.
    o prof luis hanrique dias tavares sabe, o prof cid teixeira também.

  3. Vitor Salles Brasil  Says:

    A Bahia decidiu o futuro do Brasil no momento em que os portugueses pisaram em Porto Seguro; depois, quando Tomé de Sousa fundou em Salvador a capital do Brasil; e ainda com o Visconde de Cayru, aconselhando D. João a fazer a Abertura dos Portos; talvez mais importante, com o 2 de Julho, festa máxima da Bahia (e o aeroporto, até quando esse nome arbitrário vai continuar?). Por último, a Bahia decidiu quando Benjamin Constant, liderança positivista no Exército, escreveu a Ruy Barbosa: “O seu artigo de ontem fez a República”. A Bahia, mãe generosa, está sempre decidindo o futuro de seu filho chamado Brasil…

  4. IVETE  Says:

    A BAHIA SEMPRE SEMPRE NA DIANTEIRA, AVANTE PRECURSORA NOTÓRIA AMIGA E IRMÃ DO POVO BRASILEIRO – VIVA A BAHIA, A BAHIA QUERIDA TÃO MALTRATADA HOJE – ME SALVE GREGÓRIO DE MATTOS………..

  5. pery  Says:

    O que os sulistas acham pouco importa.
    São eles que precisam reconher e não os baianos.

Leave a Reply



Grupo A TARDE

empresas do grupo

jornal a tarde | a tarde online | a tarde fm | agência a tarde | serviços gráficos | mobi a tarde | avance telecom | massa!

iniciativas do grupo a tarde educação | a tarde social


Rua Prof. Milton Cayres de Brito n° 204 - Caminho das Árvores - Salvador/BA, CEP-41820570. Tel.: 71 3340-8500 - Redação: 71 3340-8800


Copyright © 1997 - 2010 Grupo A TARDE Todos os direitos reservados.